sexta-feira, 3 de junho de 2011

Copenhage com sol de brigadeiro - 2º dia

Seguidores e Seguidoras.

Hoje Copenhage se despiu para nós em toda sua plenitude. O sol abriu diretamente na cortina do nosso apartamento nos convidando para conhecer Copenhage como ela efetivamente é. Sol, céu azul, mar, parques, seu povo, seu cheiro. Hoje era dia para caminhar, curtir tudo o que a cidade oferece a céu aberto. Café da manhã tomado, bom para um três estrelas como o Best Western, com tudo o que precisávamos para a longa caminhada do dia.

Assim é que começamos pelo que estava mais próximo. O interessante e belíssimo Parque Tívoli, um dos pontos turísticos mais famosos da capital dinamarquesa, que foi inaugurado em 1834. É um centro de lazer popular com muitos palcos para shows, todos estilizados, de diversões com atrações ultra radicais, restaurantes de alto padrão, lagos, carpas, frangos dágua, todo tipo de aves da região. Ao anoitecer, o parque fica todo iluminado com pequenas luzes e o shows fazem deste parque uma atração à parte. Pretendemos visitá-los á noite para curtí-lo na sua plenitude. Visita recomendada.

Dali saimos para esquadrinhar uma vasta região da cidade repleta de parques, prédios históricos, avenidas, palácios até ao extremo da pequena sereia. Tomamos a Stroget, passamos pelo Nyhavn e seguimos em frente. Após caminhada por alamedas, beira-mar, lojas de arte, etc., demos no complexo do Amalienborg, Castelo de Amália, formado por quatro edifícios idênticos, em estilo rococó, dispostos simetricamente ao redor de uma praça calçada de pedra a qual possui ao centro uma estátua equestre de Frederico V. Desde 1784 esses prédios são residência dos monarcas, que ainda utilizam dois deles. A troca de guarda é realizada todos os dias , às 12 horas, diante do palácio da atual rainha, Margareth segunda. Dali fomos visitar, no mesmo complexo  a Marmorkirken, igreja de mármore branco. Seu domo - um dos maiores de toda Europa - foi inspirado no da Basílica de São Pedro que recentemente visitamos em Roma, na Itália. 

Seguindo em frente demos no Kastellet e Frihedsmuseet, com campos construídos ao seu redor por Cristiano IV, no século 16 e ampliado nos reinados seguintes, ótimos para caminhadas e descanso. Hoje é usado pelo exército dinamarquês mais está, em quase toda sua plenitude, aberto para uso público. Dia de sol e céu azul, estava todo mundo lá. 

No extremo desse Parque, finalmente chegamos na Pequena Sereia, tema de muitos cartões postais da Dinamarca, tornou-se um símbolo de Copenhage e é muito visitada pelos turistas, inclusive nós. Tirar uma foto sem ninguém posando perto dela é uma aventura mas achoamos que conseguimos. Sentada sobre uma pedra na calçada de langelini, ela olha para o Canal de Oresund. É difícil percebê-la porque é bem menor do que aparentam as fotos. Criada por Edvard Erichsen, a pequena estátua de bronze, inaugurada em 1913, foi inspirada na personagem de Andersen, uma sereia que abandona o mar ao se apaixonar por um príncipe. No decorrer do tempo, a estátua foi vítima de vandalismo e chegou a perder a cabeça e um braço. Felizmente foi restaurada e hoje está novamente completa.

Um descanso para um sorvete e começamos a retornar já que estávamos muito longe do hotel. Partimos, então, em busca do Castelo de Rosemborg Slot, que fica no Parque Kongens Have. Quando adentramos no parque ficamos chocados com o número de dinamarqueses deitados nos gramados, aproveitando o sol com se fora uma praia de Balneário Camboriú com lotação plena. Mulheres de biquini, homens de calção, sol a pino, curtindo intensamente o que para eles aqui é um diamante, tão raro e por tão pouco tempo. Deu gosto de ver a intensidade com que curtem esta época do ano. Sentamos, à sombra e ficamos a curtir aquilo que eles tem tão pouco e nós, com tanto, muitas vezes não sabemos apreciar adquadamente. 

Numa extremidade do parque encontramos o castelo Rosemborg Slot, o qual, pela reiueza do seu museu, resolvemos visitar. Construído por Cristiano IV, entre 1606 e 1607 como residência de verão, foi inspirado na arquitetura renascentista da Holanda. A parte interior está bem preservada e suas suntuosas câmaras, saguões, salões de baile estão repletos de candelabros de âmbar, leões de prata em tamanho natural, tapeçarias, trono, cadeiras trabalhadas em ouro, cristais da Boêmia, da Holanda, Inglaterra e Alemanha. Enfim, uma visita imperdível, tanto do parque, como do castelo.

Depois disso, nossos pés, pernas e costas reclamaram, de tanto que andamos, aliás, com é do nosso estilo de conhecer cidades. Apesar disso, ainda tivemos energia para visitar o belíssimo parque  Orsteds Parquen, também ocupado pelos dinamarqueses a curtir o dia lindo. Voltamos para o Hotel, pernas para o alto, banho, um soninho para nos prepararmos para o Jantar, evento que foi além das nossas espectativas. O escolhido foi o REEF N' BEEF, não muito longe do hotel, especializado  na cozinha australiana. Ambiente requintado, recepção por um chef muito bem humorado, que veio dizendo que a carne viria de vacas que recebiam massagem todos os dias, recebiam bom dia e como vai dos seus donos, ouviam música clássica e, por isso, o jantar seria inesquecível. E foi. Uma entrada com pães para acompanhar um excelente vinho tinto Syrat australiano que nos impressionou desde o primeiro gole. Depois a carne, ahhh a carne. Um Sirloin Beef grelhado, ao ponto, acompanhado de legumes salteados, cebolas caramelizadas, purê de abóbora e batatas gratinadas em camadas. Tudo o que o Chef brincou na entrada parece que se confirmou. Harmonia perfeita com o vinho, sabor, maciez, textura...magnífico. Um jantar para não esquecer. O requinte lembrou o Ponta dos Ganchos Resort, aí tão perto de nós. O serviço seguiu o padrão. Imaginávamos que não podia  ser melhor, mas foi.  A sobremesa foi o ápice. Death by Chocolate. Um mix de chocolate cremoso a 75 por cento, creme brulle, chocolate ao maracujá, outro com canela, um brownie e, ao centro, num pequeno copo flute, uma mousse de chocalate branco intercalada de uma camada nozes crocantes e mousse de chocolate preto. Soberbo. Quem aqui vier pode conferir. O site é http://www.reefnbeef.dk/.

Culminamos a noite com uma visita de uma maravilhosa exposição de fotos da natureza da Europa, localizada na Stroget. Estonteante.

Um dia maravilhoso que, parece que ainda não terminou já que, para o norte, num prelúdio do que nos espera, parece que não anoitece já que o cúu fica com aquele lusco-fusco típico dos nossos fins de tarde/início de noite. Dia cheio e inequecível. Amanhã tem mais. Beijo a todos. Narcísio e Dirlei.

Visão do Parque Tívoli

Barcos à beira do Canal que corta a cidade

A famosa Pequena Sereia

Parque Kongens Have - A praia deles

Castelo Rosenbor Slot

Maravilha de sobremesa do jantar- Death by Chocolate

Luscofusco das 23,00 horas

2 comentários:

  1. Nossa! que maravilha esse "mundo". Parabéns! Boas Férias...
    Flávia

    ResponderExcluir